ALERGIA SOLAR – SABIA QUE PODE TER?

A alergia solar afeta essencialmente mulheres de pele clara. Saiba quais os sintomas, causas e como prevenir alergias solares.

A alergia solar manifesta-se habitualmente nas zonas do corpo mais expostas ao sol: braços, mãos, região do decote e rosto, e afeta essencialmente mulheres de pele clara.

Sintomas:
– pele irritada, vermelha e sensível.
borbulhas ou pintinhas vermelhas.
– comichão.
– sensação de calor.

Causas:
– exposição solar excessiva (raios UVA) e nas horas de calor.
– toma de medicamentos fotossensibilizantes (listados abaixo).
– aplicação de certos cosméticos ou tratamentos tópicos.
– predisposição genética.

Prevenção:
– aplicar sempre protetor solar 30 minutos antes da exposição solar e renovar frequentemente.
– evitar expôr-se ao sol entre as 11h e as 16h.
– habituar a pele aos raios solares, com exposições curtas e graduais durante as horas seguras.
– hidratar bem a pele com um creme adequado, para que esteja em perfeitas condições, quer antes quer depois de se expôr.
– tomar suplementos preparadores do bronzeado, habitualmente ricos em carotenos e antioxidantes, que aumentam as defesas da pele aos efeitos nocivos dos raios UV, e ainda prolongam o bronzeado.

Desfrute do sol com os cuidados mais adequados à sua pele!

protetores solares

CINCO RAZÕES PARA USAR PROTETOR SOLAR

Com os dias a ficar maiores e mais quentes, começamos a pensar em férias e praia. É essencial cuidar da nossa pele, protegendo-a dos raios UV.

Com os dias a ficar maiores e mais quentes, começamos a pensar em férias e praia. Para poder desfrutar do sol em segurança é essencial cuidar da sua pele, protegendo-a da ação dos raios UV.

Os raios ultravioleta são de dois tipos: UVA e UVB. Ambos são emitidos pelo sol durante todo o ano, atingindo maior intensidade na Primavera e no Verão.

RAIOS UVA

– São os responsáveis pelo bronzeado, que não é mais que uma forma natural da pele se proteger dos raios UV
– Mais ligados ao envelhecimento da pele, a exposição excessiva ao longo da vida a estes raios, potencia a criação de radicais livres que podem causar danos no ADN
– Penetram mais profundamente na pele, estando também associados a um maior risco de cancro cutâneo

RAIOS UVB

– Ainda que também ajudem ao bronzeado, são os principais causadores dos eritemas solares e escaldões
– A sua ação nociva é sentida nas camadas mais externas da pele e a acumulação de escaldões aumenta a probabilidade de vir a ter cancro da pele.

A radiação ultravioleta agride a nossa pele. As lesões vão desde o aparecimento prematuro de rugas e manchas até ao desenvolvimento de tumores malignos.

Mesmo as peles já morenas e/ou escuras sofrem os efeitos da radiação UV, precisando sempre de se proteger.

Tudo o que explicámos até agora mostra como a proteção solar é essencial:

1. Previne o foto-envelhecimento

Os raios UV potenciam a produção de radicais livres na pele, os quais podem danificar as suas estruturas.

2. Previne o aparecimento de manchas

Quando a exposição solar é contínua e elevada, a produção de melanina desregula-se, aparecendo manchas castanhas – principalmente no rosto, decote e mãos – que se mantêm mesmo depois do Verão.

3. Evita “escaldões” e previne o melanoma

O uso de protetor solar aumenta o tempo que a nossa pele consegue estar exposta ao sol sem se queimar (ficar vermelha e sensível). Aplicado frequentemente e em quantidades corretas, evita o escaldão e as suas consequências futuras.

4. A radiação não vem apenas da exposição direta ao sol

À sombra também temos de nos proteger: os raios UV refletem na água e na areia. Mesmo nos dias nublados o uso de protetor solar é necessário, pois os raios UV atravessam as nuvens.

5. Nem sempre frio significa baixo índice UV

O índice UV é a medida dos níveis da radiação solar ultravioleta que efetivamente contribui para a formação de uma queimadura na pele humana, e para estar alto não precisa de estar calor. No site do IPMA obtém a informação do índice UV para cada dia.
Portanto, use protetor solar nas zonas expostas. Use protetor solar todo o ano, mesmo no Inverno, pois é a melhor forma de se prevenir contra os efeitos nocivos da radiação UV.

Na nossa loja encontrará o protetor solar que mais se adequa a si! Em caso de dúvida, nós estamos aqui para ajudar. Contacte-nos!

Saber ler um rótulo nutricional

O fator decisivo para a escolha do produto deve vir da nossa capacidade de analisarmos o que é que está, de fato, naquele alimento. É importante sabermos ler os rótulos, não apenas a tabela nutricional, mas importa também perceber os ingredientes. O Esquema do Semáforo Nutricional é um código de cores que auxilia na escolha de alimentos mais saudáveis durante as idas aos supermercados. Este é um esquema que associa 3 cores, tendo em conta a dose do alimento, sendo em tudo semelhante a um sinal de trânsito para 4 nutrientes específicos: Gordura (Lípidos), Gordura saturada, Açúcar e Sal.

Verde: para alimentos com baixa concentração do nutriente no produto.
Amarelo: alimentos com concentração média do nutriente no produto.
Vermelho: alimentos com alta concentração do nutriente no produto.

O objetivo principal será optar por alimentos e bebidas com nutrientes maioritariamente da categoria verde, moderar o consumo de alimentos com um ou mais nutrientes da categoria amarela e evitar alimentos com um ou mais nutrientes na categoria vermelha.

A lista de ingredientes inicia-se pelos ingredientes presentes em maior quantidade para o de menor quantidade, por isso, deverá ter atenção quando um dos principais ingredientes é açúcar, gordura ou sal.

Modere o consumo de alimentos que tenham níveis elevados ou cujos primeiros ingredientes sejam: – gorduras – óleos – sal – açúcar – sacarose – mel – melaço – outras formas de açúcar (por exemplo: maltose, lactose, glucose, frutose, dextrose, xarope de açúcar invertido, entre outros).

Leia cuidadosamente a informação nutricional do rótulo. Tenha sempre atenção à quantidade dos lípidos (ou gorduras). Dê preferência aos produtos com baixo teor em lípidos, sobretudo os saturados e colesterol.

Verifique a quantidade de sal (sódio).

Opte pelos produtos com o maior conteúdo de fibras alimentares.

Privilegie os alimentos que tenham mais hidratos de carbono, mas com menos quantidade de açúcares; são, normalmente, alimentos mais ricos em amido.

Verifique o prazo de validade e o estado das embalagens. Se a embalagem estiver danificada (amolgada, inchada ou com sinais de ferrugem) não a adquira.

Caso as embalagens de produtos congelados estejam húmidas ou apresentem cristais de gelo no interior, rejeite-as. Esta situação indicia que os produtos sofreram descongelação e que a rede de frio não foi mantida constante.

Em suma, o Rótulo Nutricional é o conjunto de menções e indicações, marcas de fabrico ou comerciais, imagens ou símbolos, referentes a um género alimentício, que figurem em qualquer embalagem, documento, aviso, rótulo, anel ou gargantilha que acompanhem ou se refiram a esse género alimentício. O rótulo deve fornecer todas as informações que permitam ao consumidor conhecer o produto e fazer escolhas conscientes, existindo informações que têm um carácter obrigatório e outras que são opcionais.

Artigo da autoria de Rita Ferreira (Nutricionista – Cédula 2224N)

0
Add to cart