INÍCIO>Informação>Notícias>«Interesses particulares» impediram aplicação de medidas agora ac...
 
               
            IN    
Destaque

Elancyl Creme Pr...
20,14 €
 
 
Verão
Set'2017
20
quarta-feira
   
 
Informação
 
 
«Interesses particulares» impediram aplicação de medidas agora acordadas com a troika
 
O Observatório da Saúde atribui aos ?interesses particulares, que se sobrepõem muito frequentemente ao interesse geral?, a razão porque as medidas saídas do acordo entre o Governo e a troika não foram tomadas antes, avança a agência Lusa.
 
«Interesses particulares» impediram aplicação de medidas agora acordadas com a troika
 

No “Relatório da Primavera”, que é esta quarta-feira apresentado em Lisboa, o Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS) analisa o impacte das medidas de política na área da saúde, previstas no quadro do memorando de entendimento entre o Governo português e a Troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional).

Este memorando tem “fortes implicações para o sistema de saúde português e a sua implementação enfrentará, previsivelmente, inúmeras dificuldades”, lê-se no documento.

O relatório tenta responder a uma pergunta que “circulou insistentemente” nos dias seguintes à publicitação do memorando: “Porque é que [estas medidas] não foram tomadas antes?”.

Para o OPSS, existem três razões para que “os vários governos, que têm exercido o poder nas últimas décadas, não tenham tomado muitas destas medidas, ainda que as tenham reconhecido como importantes e necessárias”.

Uma dessas razões é “a densa estruturação dos interesses particulares – económicos e profissionais – que se sobrepõem muito frequentemente ao interesse geral”.

O Observatório aponta ainda a “baixa qualidade dos dispositivos e instrumentos da governação da saúde” e a “ausência de uma cidadania activa – pessoas informadas e capacitadas, disponíveis para um envolvimento argumentativo nas questões que lhes dizem respeito” como razões para estas medidas não terem sido anteriormente tomadas.

“Estas três causas estão amplamente documentadas na sociedade portuguesa. A razão porque, apesar disso, são tão frequentemente ignoradas, pode fundamentar-se no facto de, eventualmente, não ter existido no passado uma resposta política, social e cultural capaz de atingir causas tão profundas”, lê-se no documento.

O relatório aborda ainda “um aspecto certamente controverso e tecnicamente inadequado” que é o de “mencionar as taxas moderadoras sob a rubrica do financiamento e tratá-las efectivamente como co-pagamentos”.

O Observatório escreve que "a alteração que substituiu no texto constitucional a expressão ‘gratuito’, (já de si infeliz, na medida que se sugere a noção do ‘Estado que oferece’ em vez de ‘Estado’ gestor daquilo que as pessoas que pagam e recebem, segundo certas regras) por ‘tendencialmente gratuito’, fez-se para permitir a introdução de taxas moderadoras, mas não de ‘co-pagamentos indexados de acordo com a capacidade de pagar’”.

“Sabendo que o financiamento privado em Portugal é já substancialmente superior ao dos outros países europeus e, na medida em que se reconhece que estes «pagamentos directos» aumentam a natureza já de si regressiva do financiamento da saúde em Portugal, este é certamente um ponto controverso”, prossegue.

Neste relatório, o Observatório sublinha: “A taxa moderadora serve para moderar. Justifica-se enquanto é possível encontrar a difícil arquitectura que faz com que um pagamento sirva para efectivamente moderar os realmente imoderados, sem dificultar o seu acesso aos cuidados de saúde que efectivamente necessitam”.

Conclui o OPSS que “o Governo em funções em muito tem contribuído para o hábito pouco estimável de ‘disfarçar’ co-pagamentos em taxas moderadoras”.

Notícia RCMPharma.
Veja notícia aqui.

 
Admin | 2011-06-16 15:35:16
 
 
1
 
 
Publicidade Google
 
 
 
Promoções


Absorvit Smart Neuro
27,93 €
24,33 €
 
HORÁRIO de FUNCIONAMENTO
   
2ª a sexta:
8h às 24h
sábado:
9h às 24h
Horário actual
Neste momento:
Estamos abertos
[Horário normal]
   
 
A DECORRER HOJE
   
Enfermagem |9h>13h
Nutrição |9h>13h
   
 
AGENDA
 
S T Q Q S S D
F234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930311
 
- Actividade
 
- Mês actual
 
     
MARCAS + PROCURADAS
 
XLS | Emagrecimento Bioderma | Dermocosmética Drenafast | Emagrecimento
Saro | Puericultura Pure Altitude | Dermocosmética PiC | Tensiómetros
Cellulase Gold | Emagrecimento Medela | Mamã BioActivo | Suplementos
 
       
PARCERIAS
 
Wellfit Fitness & Spa Associação de Solidariedade Social dos Idosos de Canidelo Grupo Desportivo Bolacesto Ocean Day Spa
Fisiodomus Marta de Sousa Lopes Psicologia Global Sénior Rios e Trilhos
Laços com Futuro, Apoio Domiciliário      
       
 
Newsletters
 
Cartão Cliente
 
Fale connosco
 
Adicionar aos Favoritos
 
 
Social
 
  Siga-nos no Twitter! Siga-nos no Facebook
 
 
Publicidade
 
BioActivo LipoExit | Um novo conceito de emagrecimento!
 
 
  TOPO  
  INÍCIO | OnLine | Quem somos | Serviços | Farmácias de Serviço | Informações | Contactos | Links  
     
  Direcção Técnica: Drª Maria Manuela S. Rodrigues M. Rocha
2017 © Farmácia Rodrigues Rocha, Soc. Unipessoal | Todos os direitos reservados